Uma geração assustadora e pateticamente ignorante da Palavra de Deus

Gilberto Celeti  »   dezembro 2021

James Innell Packer, pastor, teólogo, professor e escritor nasceu na Inglaterra em 1926 e faleceu com 93 anos no Canada, em 2020. Muitos de seus livros foram traduzidos para o português. A CPAD publicou de Packer o livro “Paixão pela Fidelidade – sabedoria extraída do livro de Neemias”, que traz uma frase impactante:

“Os pais já não ensinam a Bíblia aos filhos em casa; os pregadores, na igreja, são geralmente temáticos e superficiais, em vez de expositivos e teológicos; o ensino da Escola Dominical é muitas vezes rudimentar no que diz respeito à Bíblia; o sistema educacional público e a mídia, tanto a popular como a acadêmica, tratam o cristianismo como uma letra morta, sobrevivente apenas como um hobby para pessoas de um estilo singular. Assim, não há em nossa cultura o menor encorajamento para se tornar biblicamente literato, e o resultado é uma geração assustadora e pateticamente ignorante da Palavra de Deus. Não se pode esperar nenhum movimento significativo em direção a Deus enquanto as coisas permanecerem como estão. ”

Que constatação!

Nestes anos marcados pela pandemia do Covid 19, quando as empresas e organizações, as escolas e as igrejas, os políticos e profissionais de todas as atividades da sociedade, as pessoas de todas as idades estão repensando suas ações e motivações, perplexos com tudo o que está acontecendo, não seria o tempo ideal:

– Para os pais priorizarem o ensino da Bíblia aos seus próprios filhos, eliminando a terceirização na formação espiritual dos filhos?

– Para os pregadores se especializarem no ensino expositivo e teológico da Palavra de Deus aos seus ouvintes?

– Para que o ensino da Palavra de Deus entre os participantes da igreja local seja priorizado e aprofundado?

– Para que a Palavra de Deus ocupe um lugar de autoridade, relevância, destaque e respeito no seio da sociedade?

Como isso será possível?

Sem sombra de dúvida, depende da ação do Espírito Santo, porque Deus é quem efetua em cada um dos seus filhos, que foram comprados pelo precioso sangue de Cristo, “tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade. ” (Filipenses 2:13).

E, evidentemente os que são salvos por Cristo precisam e podem orar como Habacuque: “Aviva a tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos, e, no decurso dos anos, faze-a conhecida. ” (Habacuque 3:2).

E confiando que Deus efetua nos que são seus, “tanto o querer como o realizar”, é possível fazer o que deve e tem que ser realizado, e desta forma:

Voltemos a ser pais que ensinem a Bíblia aos seus filhos, “quando estiver sentado em sua casa, andando pelo caminho, ao deitar-se e ao levantar-se.” (Deuteronômio 6:7).

Voltemos a ser pregadores que interrompam o ciclo de abordar temas superficiais, focados tão somente no bem-estar individual dos ouvintes e dediquemo-nos à pregação expositiva e doutrinária, focada na Pessoa de Deus.

Voltemos a priorizar o ensino da Bíblia para os crentes de todas as faixas de idade na igreja local, com maior destaque às crianças, que estão sendo, infelizmente, cada vez mais envolvidas com o mero entretenimento. Celebrações e louvores são importantes, mas que sejam resultado de corações e lábios que colocam o conhecimento e a obediência à Palavra de Deus em primeiro lugar.

Voltemos a ser conhecidos por todos que estão ao nosso redor, como pessoas que fazem realmente da Bíblia sua regra de fé e prática.

Que o Senhor abra os nossos olhos para ver o que está acontecendo ao nosso redor, para ver como está o nosso próprio coração, para ver que o Senhor Jesus Cristo “é o mesmo ontem, hoje e para sempre. ” (Hebreus 13:8), para ver que a prioridade número um é realizar um movimento significativo, uma meia volta, em direção a Deus, que nos envolva num arrependimento sincero, na confissão de nossos pecados e que nos leve a depositar confiadamente a nossa fé naquele que veio para ser nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo!

E que sejamos abençoados de tal maneira, que após a nossa saída de cena deste mundo, as crianças que ganhamos para Cristo hoje, não sejam conhecidas como uma geração assustadora e pateticamente ignorante da Palavra de Deus, pelo contrário, sejam amanhã homens e mulheres conhecidos e marcados por serem testemunhas de Jesus, sábios na Palavra do Senhor e, por sua vez, ganhando as próximas gerações para Cristo!

Dentro de mais alguns dias entraremos num novo ano. Que 2022 seja marcante em nossas vidas pessoais, e em nossas igrejas locais, como um ano em que priorizaremos conduzir os nossos meninos e meninas ao conhecimento mais profundo do Senhor e de Sua Palavra.

Uma resposta para “Uma geração assustadora e pateticamente ignorante da Palavra de Deus”

  1. Pr. Joel Azer. disse:

    Concordo plenamente e diria mais. E preocupante a igreja do amanhã. Composta tbm por crentes ignorantes da Palavra de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *