Superação na crise

Edgar Donato  »   fevereiro 2022

Lições da vida de Isaque em Gênesis 26

Alguns olham para as crises como oportunidades, outros como sepultamento dos sonhos. O futuro é incerto, é necessário termos a atitude boa a fim de não sermos vitimizados pela síndrome de pulgas esmagadas pelas botas dos gigantes.

A crise gera medo, insegurança e instabilidade. Um personagem tem muito a nos ensinar sobre superação. Isaque (filho de Abraão), pois, havia uma fome generalizada em seus dias. Porém tornou-se manifestação da intervenção sobrenatural de Deus. Era tempo de escassez, assim como hoje, desemprego, de contenção drástica de despesas, crise econômica, crise na saúde. Isaque não ficou lamentando, ele saiu, se moveu. A princípio aproximou-se dos filisteus, embora a tentação fosse descer ao Egito.

Hoje vivemos o drama da Covid, luta pela sobrevivência. Se você tem algum negócio, a concorrência tenta passar a perna; se estuda para prestar concurso, há a disputa da vaga; se luta para manter a posição no trabalho, precisa de cursos de especialização… Falta tempo com a família, cada vez mais dividida, fragmentada em várias direções.

Cuidado para não pegar atalhos sedutores. A verdadeira fé é sempre testada, seja pelas tentações dentro de nós ou provações fora, pois, uma fé que não pode ser testada não é digna de confiança.  O Egito, era lugar de fartura e riquezas fáceis. Queremos soluções rápidas, fáceis e sem dor. Mas Deus diz a ele: “Não desças ao Egito”. Cuidado para não abrir mão das suas convicções e raízes da fé na hora da crise.  A incredulidade pergunta: “Como posso sair dessa situação? Enquanto a pergunta da fé é: “O que posso aprender com essa situação?” Na crise não separe da esposa, lute pelo seu casamento. Na crise, não aceite dinheiro por fora, propina, não há crime perfeito. Na crise, não evite conversas difíceis, é preciso ficar e resolver. Na crise, não saia da sua igreja com problemas pendentes.

Dê fruto onde você está plantado. Não corra dos problemas, enfrente-os. Vença-os. O seu futuro está nas mãos de Deus. Não deixe a ansiedade tomar conta e por desespero buscar soluções naturais.  Onde vou morar? Onde vou trabalhar? Onde meus filhos vão estudar? Como eu vou pagar o meu plano de saúde? E se eu ficar doente?
Deus acalma o coração de Isaque e lhe diz: Calma! Eu estou contigo. Calma! Eu tomo conta da sua descendência. Precisamos ouvir de Jesus: “Não se perturbe! ” Calma! Seu futuro está nas minhas mãos e não acabado pela pressão das circunstâncias. 

A causa da nossa vitória não é ausência de aflições, como previu Jesus, mas a presença dEle, dando-nos o bom ânimo. O caminho da obediência é o caminho da bênção, mesmo que pagarmos um alto preço, mesmo se passarmos vergonha, ser rejeitado pelos amigos.  Na crise não fuja de Deus, obedeça-o!

A terra estava seca, e muitos diziam: Aqui não chove, não tem água, não vai dar certo. Outros já tentaram e fracassaram. Não tem jeito, jamais sairemos da crise. Isaque se recusou a aceitar a decretação do fracasso em sua vida. Ele desafiou o tempo, as previsões, os prognósticos e a lógica: “Semeou Isaque naquela terra e colher a cem por um”.  Pare de reclamar: Semeie na sua terra. Semeie no seu casamento. Semeie nos seus filhos. Semeie no seu trabalho. Semeie na sua igreja, semeie na vida dos seus contatos.  Não importa se hoje o cenário é de um deserto. Lance suas redes em nome de Jesus. Lance o seu pão sobre as águas. Ande pela fé.
Depois, se tornou especialista em  cavar poços. Ele se dispôs a suar a camisa, pois milagre não vem sem a matéria prima da fé, do buscar, da visão além das aparências. Ele vai à luta. É preciso fazer o ordinário e esperar o extraordinário de Deus.
“A intervenção sobrenatural de Deus não anula a ação natural do homem”, já dizia Hernandes Dias Lopes.  Ele plantou, investiu, trabalhou, empreendeu.
O Deus generoso e abençoador encontrou um homem altruísta e trabalhador.
Os filisteus ficaram movidos de inveja, entulharam poços, ameaçaram-no, rejeitaram-no. Ele não reagia, era pacificador, não entrou no bate-boca, na contenda (nome de um poço), ou da inimizade (nome de outro poço). Deixou pra lá! Abriu mão, mais tinha Deus para lhe dar. Logo encontrou um poço ainda melhor e o chamou de Reobote (lugar de amplitude), lugar de prosperidade sem os desgostos dos relacionamentos tóxicos.  Melhor é ser pacificador do que provocador. Adiante cavou um poço novo e o chamou de Berseba (lugar da promessa), lugar da confirmação do Deus do seu Pai. Precisamos avançar, novos poços, novas tentativas, novas maneiras criativas de superar, na crise.   Se a crise chegou, você é um forte candidato a um extraordinário milagre de Deus – Se você está no deserto, ouça Deus, siga a direção de Deus, semeia no seu deserto.  

Uma resposta para “Superação na crise”

  1. Lícia Rocha disse:

    Pr. Edgar é sempre uma benção em nossas vidas, obrigada pelo artigo, Deus continue abençoando sua vida e de sua família, abraços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.