Sentimento favorito

Carlos Moraes  »   Editorial | maio 2022

Eu estava sendo entrevistado e, de repente, uma pergunta aparentemente despretensiosa, mas de difícil resposta, me pegou de surpresa. O entrevistador queria saber qual era o meu sentimento favorito. Confesso que nunca havia pensado nisso até aquele momento. Daí a surpresa e a dificuldade.

Depois daquele momento, embasbacado, ao ser colhido de surpresa, comecei a refletir e a me questionar, ao mesmo tempo em que procurava escolher o tal de sentimento favorito. Mas o que eu gostaria mesmo de responder ao meu interlocutor era sobre o sentimento que me envolvia naquele momento, de confusão e indefinição.

E você, qual é o seu sentimento favorito?

Em conversa sobre isso, com várias pessoas, já divagamos em muitas alternativas que podem nos ajudar a definir tal sentimento. Temos, por exemplo, o sentimento de gratidão. Quando somos agraciados por algo que era esperado ou até mesmo por um acontecimento inesperado a gratidão invade nossos sentimentos. Outro sentimento agradável, que pode ser favorito para muitos, é o entusiasmo. Ele chega com tudo quando estamos diante de um desafio empolgante que exige nossa dedicação para alcançar um objetivo elevado ou mesmo quando assistimos à vitória de alguém que nos inspira a traçar uma meta semelhante.

Eu me lembro de uma ocasião muito especial, em uma conversa que tive com uma pessoa a quem aconselhava. Ao ver o problema resolvido, perguntei a ela sobre esse sentimento favorito. Naquele momento, sem muito pensar, ela disse: alívio! Era o alívio de se ver livre de uma situação angustiante na alma que causava sufoco e indefinição. O alívio é, sem dúvida o sentimento favorito de muitos. Ele se manifesta quando um remédio elimina uma enfermidade, ou quando vemos a solução de um problema difícil. A sensação de alívio é agradável até mesmo quando ouvimos o apito final do árbitro naquele jogo tenso em que, um gol do adversário tiraria o título do nosso time que estava garantido com o empate.

Mas eu sei que você está curioso mesmo, é para saber qual foi a minha resposta ao entrevistador quando quis saber qual era o meu sentimento favorito, certo? Pois bem, depois de refletir e ponderar comigo mesmo, acabei respondendo que, sem a menor sombra de dúvida, o meu sentimento favorito é o de realização! Isso mesmo, realização com exclamação, para reforçar a emoção do sentimento.

Até mesmo naqueles momentos, aparentemente insignificantes, quando risco a última tarefa do dia na minha agenda, o sentimento de realização aflora e libera adrenalina. Imagine a carga de adrenalina quando a realização tem a ver com algo maior?

Esse sentimento de realização me leva à cruz de Cristo. Me leva àquele momento de dor inimaginável, quando o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo, bradou com as últimas forças que lhe restavam: Está consumado! (Jo 19.30). Que realização poderia ser maior em toda história da humanidade?

Cada vez que experimento aquele sentimento de realização, por menor que seja a motivação, sou levado ao pé da cruz onde a realização profética do Deus encarnado cumpriu o que está escrito em Gênesis 3.15!

Uma resposta para “Sentimento favorito”

  1. Agnes+a+f+Moraes disse:

    Lindo texto meu sentimento favorito e o amor que se defini com palavras,atitudes,gestos,olhares e,principalmente apoio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.