Ouvindo e praticando a palavra

Selma Agnesini  »   abril 2021

Certa vez houve uma competição de sapinhos. Eles tinham que subir uma grande torre, e atrás, havia uma multidão que vibrava muito por eles.

Foi dada a largada. Como a multidão notou que a escalada era muito difícil, e que os sapinhos estavam fazendo uma tremenda força para continuar escalando começaram a gritar: “Não vão conseguir, não vão conseguir! ” Os sapinhos, muito cansados, iam desistindo um a um, menos um sapinho que continuava subindo. E a multidão continuava a gritar: ”Vocês não vão  conseguir, vocês não vão conseguir! ” E assim, os sapinhos iam desistindo, menos aquele, que subia tranquilo, sem esforços. Chegou ao final da competição e todos tinham desistido, menos aquele. Ele ganhou a competição e foi coroado como o grande campeão! Todos queriam saber como ele tinha conseguido chegar até o final. E quando foram perguntar ao sapinho como ele conseguiu escalar a torre, descobriram que ele era surdo e a gritaria dos outros, para ele, parecia, na verdade, um incentivo.

Vivemos um tempo em que as notícias negativas, as histórias tristes e as murmurações nos impelem a desistir. É como se não fôssemos capazes de seguir em frente por causa do desânimo que nos acomete ao ouvirmos o noticiário todos os dias.

É momento de nos tornarmos surdos aos apelos negativos e usarmos nossos ouvidos para ouvir e praticar a Palavra de Deus. Tiago 1.22 nos diz: “Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos”.

Como cristãos, precisamos aplicar a “Palavra” da verdade em nossa vida, mostrando fé nos seus benefícios e na sabedoria inerente nela. Devemos prestar constante atenção a essa “Palavra”, deixando-a guiar-nos. Ser genuíno ouvinte significa ter fé, e a fé produz obras. “Todo aquele que vem a mim, e ouve as minhas palavras, e as pratica, eu vos mostrarei a quem é semelhante.” Lucas 6.47

Em Efésios 2.8-9 Paulo diz que as obras não nos salvam. Somos salvos exclusivamente pela graça de Deus. Mas Paulo também diz que “somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas” Ef 2.10. E em Tito 3.1: “… estejam prontos para toda boa obra”.

Prontidão é o contrário de omissão! É saímos da nossa zona de conforto, chamando a responsabilidade para nós mesmos. É servirmos de fato e não ficarmos apenas comovidos com uma situação. É orarmos, sim, mas com a disposição de nos envolvermos com a resposta. Pense nisso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *