O Desenvolvimento Espiritual em crianças de 2 a 6 anos

Genaina Reder  »   maio 2021

Os jogos simbólicos no ensino da Palavra de Deus

Este é o terceiro texto que escrevo sobre o Desenvolvimento espiritual na infância. No primeiro abordei a necessidade de investimento das nossas igrejas no ministério infantil. Investimento na formação de professores das classes de escola dominical, investimento no próprio ministério pastoral com foco a alcançar as crianças, investimento em planejamentos de médio e longo prazo com vistas ao desenvolvimento espiritual dos pequenos. Jesus nos deixou como exemplo o quanto Ele valorizava as crianças. Em seu ministério terreno Ele fez questão de acolhe-las – Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus” (Mc 10.14), mas nós, muitas vezes como líderes de igrejas e mesmo como pais, temos negligenciado este momento tão importante: a infância. Não trabalhamos com a intencionalidade de desenvolver nossas crianças, falhamos deixando que elas cresçam “ao acaso”. Levamos à igreja, lemos “histórias da Bíblia” para elas, ensinamos elas a orarem, mas não percebemos que estamos moldando apenas comportamentos, estamos treinando fariseus, que conhecem a lei (a Bíblia), mas não vivem de acordo com a Palavra, não são transformados pela Palavra, não têm o coração transformado. Elas crescem e um dia percebemos que aquela criança criada na igreja, “ensinada” na igreja foi tragada pelo mundo, e nos perguntamos: – onde foi que eu errei? Erramos quando não investimos de forma consistente e sistemática na vida espiritual deles.

No segundo texto abordei a imitação como forma de aprendizagem dos pequenos. Tanto sob a perspectiva do teórico da educação, Lev Vygotsky, quanto na perspectiva Bíblica do Apóstolo Paulo a imitação faz parte do processo de aprendizagem. Crianças pequenas em especial, se desenvolvem e aprendem observando e imitando os adultos. Cabe a nós oferecer de forma intencional situações que moldem suas mentes e corações na Palavra de Deus.

Hoje te convido a refletir sobre a aprendizagem das crianças de 2 a 6 anos. Nesta fase, que o teórico Jean Piaget denomina de pré-operatória, a aquisição da linguagem é fundamental para o desenvolvimento da inteligência, visto que é a partir dela que a criança adquire a função simbólica e capacidade de empregar símbolos e signos para representar os objetos. De acordo com Piaget[i] esta fase é marcada pelo jogo simbólico e manipulação de símbolos e pelo início das habilidades de conservação, classificação e agrupamento. Mas, o que significa isso? Quando falamos de jogo simbólico, estamos falando de propor às crianças atividades que elas adoram nesta fase, como recriar a história de um livro ou montar um roteiro próprio, brincar de casinha ou de detetive, sempre as colocando como personagens ativas da atividade. Aqui está uma ótima dica de como podemos propor uma atividade intencional aos pequenos com objetivo de ensinar-lhes a Palavra de Deus. Na EBD ou em casa, ao invés de fazê-los ficar sentados ouvindo a história do Rei Davi, por que não estimulá-los a recriar a história ou parte dela? Ou de qualquer outra história da Bíblia? A habilidade de classificação e agrupamento também é uma excelente oportunidade de ensiná-los a identificar e aprender a localizar os livros do Antigo e do Novo Testamento. É claro que estas atividades alcançam melhor objetivo nas crianças maiores, entre 4 e 6 anos, porém, as menores, de 2 e 3 anos estão na fase de grande curiosidade, sendo muito frequente a pergunta “por quê?” É capaz de produzir regularmente frases de 3 e 4 palavras. A partir, já capaz de conversar com um adulto usando frases curtas e de continuar a falar sobre um assunto por um breve período. A memória e a capacidade de concentração aumentam ela é capaz de voltar a uma atividade que tinha interrompido, mantendo-se concentrada nela por períodos de tempo mais longos. A criança começa a formar imagens mentais das coisas, o que a leva à compreensão dos conceitos – progressivamente, e com a ajuda, vai sendo capaz de compreender conceitos como dentro e fora, cima e baixo. Nesta fase começa a apreender o conceito de sequências numéricas simples e de diferentes categorias, é capaz de contar até 10 e de formar grupos de objetos. Esta é uma fase rica para incutir a Palavra de Deus em seus corações, pois à medida que contamos a elas histórias e ensinamos verdades sobre a Palavra de Deus respondemos seus “por quês?”, porque chegará um dia que deixarão de nos perguntar os “por quês” e irão buscá-los nos professores, na internet, nos amigos. Se tivermos feito nosso dever de casa e ensinado as verdades da Palavra de Deus desde a tenra idade, “as verdades” do mundo não terão impacto sobre suas vidas e escolhas, sobre tudo se tivermos tratado tudo isso à luz da transformação que só o Evangelho de Cristo pode produzir, tanto nos corações dos pequenos quanto dos adultos, mas isso é assunto para um próximo texto. Até lá!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *