O Caos da falta de perdão

Alessandro Monteiro  »   setembro 2021

Alessandro Monteiro

No mundo perdido ainda é possível encontrar alguma coisa através do amor e do perdão.  O pecado gera cada vez mais o caos, mas ainda podemos ser usados para o equilíbrio em meio a tanta desordem e confusão. Parece assustador, mas a falta de um “simples” perdão desencadeia tornados de alegria no inferno. O único que sai vencendo é o diabo.

Como estaríamos sem o perdão de Deus através do sacrifício de Jesus na cruz? Se existe um lugar onde o perdão não é necessário então estamos falando do céu. É o lugar perfeito onde habitará eternamente todos aqueles que reconhecerem que precisam de perdão. Leia: Rm 3.23; 5.12; 6.23, 5.8 e 10.9.

Amemos e perdoemos uns aos outros e com isso todos saberão que somos discípulos de Jesus (Jo 13.35).

O perdão é uma das principais variáveis que empurram o caos para o lugar mais fundo do inferno. Porém, tudo tende a estar, em pouco tempo, minuciosamente calibrado na mentira. O amor vai esfriar totalmente para muitos e o perdão terá um comportamento futuro bem difícil de entender. Virá então o caos por completo confundido como uma grande ordem.

Como diz a música de Valdecir Lima e Lineu Soares: No mundo ainda existem belezas que alegram a vida e nos fazem sonhar, recantos felizes da natureza onde qualquer ser humano gostaria de estar…, entretanto em outra perspectiva o mundo está se preenchendo de forma que se fosse visto interiormente, desconstruído e construído, seria como a nossa beleza interna sem as misericórdias do Criador.

É no céu que veremos completamente dentro do sistema espiritual tudo que é desencadeado quando se cumpre o dever do perdão. Um ruído no fundo da alma, um choro que pode ser tão alto quanto o de José na frente de seus irmãos, onde Deus nos transforma drasticamente e também pessoas de um modo imprevisível e extraordinário.

A falta de perdão é o que separará cada vez mais as pessoas do que são quando aceitam do mundo outras definições impostas por satanás quando diz, por exemplo, que amor é também paixão imoral. É o que destruirá cada vez mais os países porque não há mais o porquê de oferecer misericórdia e por consequência não há mais como alcançá-la.

Pois quem esconde os seus pecados, não próspera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia (Pv 28.13).

Perdoar é escolher a cura sem precisar de remédios ou terapias. A falta de perdão no abandono e no abuso podem gerar câncer e identidades em outras dimensões. A falta de perdão tem sido associada a vários problemas físicos e emocionais como ansiedade, depressão, raiva, problemas de pressão, problemas na frequência cardíaca, alterações na pele e ainda problemas oculares (Toussaint e Williams, 2003).

E não perdoar é desobediência a Deus, é pecado e se não perdoarmos, também o nosso Pai que está no céu não perdoará os nossos pecados (Mt 6. 14-15, Mc 11.26). Perdoemos e também sejamos lavados pelo Senhor e mais brancos do que a neve seremos (Sl 51.7).

Se não perdoamos então somos mentirosos e não temos verdadeira comunhão com Deus (1 Jo 1.6). Se somos salvos então para perdoarmos não precisamos de mais fé, mas sermos mais obedientes a palavra de Deus (Ef 4.32, Colossenses 3.13). Tomem cuidado: Se o seu irmão pecar, repreenda-o e, se ele se arrepender, perdoe-lhe. Se pecar contra você sete vezes no dia, e sete vezes voltar a você e disser: Estou arrependido, perdoe-lhe (Lc 17. 3-4).

Não perdoar é escolher lutar contra o mal com as armas dele mesmo. É dar vantagem ao diabo para inibir nosso crescimento espiritual e também da igreja (2 Co 2.11). Por quanto você pode aceitar o perdão de um marido ou esposa arrependida? De um irmão arrependido? De um pastor arrependido? E que confusão é não divorciar, mas ao mesmo tempo não dar mais o direito de ser marido (esposa)? Que desordem é perdoar, mas não dar, mas o direito de ter comunhão? Que caos é não perdoar mas continuar num só corpo? Todos tropeçamos de muitas maneiras (Tg 3.2). Quantos sobrariam se fossem rejeitados e para sempre fossem desqualificados aqueles que por algum momento não conseguiram governar bem a sua própria casa (1 Tm 3.4-5)? O pecado é contra Deus, a disciplina é graça de Deus e não somos qualificados para desqualificar para sempre.

Talvez o melhor plano de Satanás seja lhe convencer que é uma quantidade que não pode ser paga ou que foi paga de forma incompleta. Pode a igreja orar e ajudar aquelas pessoas que não conseguem oferecer a tão dolorosa misericórdia? Quanto faltou? Quanto a Igreja pode dar? Estamos falando de uma quantia que você diz não ter recebido, mas que ao mesmo tempo decidiu investi-la no diabo. Perdoar pode doer tanto quanto uma perda, porém não dói mais do que o caos da falta de perdão.

Em qualquer situação permaneçamos servindo pois Deus quando quiser poderá usar a nossa vida para mostrar que o valor que faltou nunca esteve no nosso bolso e sim no da pessoa ofendida. O valor de um perdão não supera o valor de uma alma. E prossigamos, pois, somos salvos para isso. E continue o injusto a praticar injustiça; continue o imundo na imundícia; continue o justo a praticar justiça; e continue o santo a santificar-se (Apocalipse 22.11).

Todos precisamos de perdão. Todos precisamos perdoar todos os dias. Todos precisamos perdoar antes do caos.

Não podemos esquecer completamente o que deve ser deixado para trás, mas devemos vencer o diabo e seguir para o alvo. Cumpramos a Palavra de Deus e deixemos o restante com ele. Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus (Fp 3.13-14).

Pai nosso, que estás nos céus, …, perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; E não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *