Não mexa com os velhos!

Rômulo Ribeiro  »   Ponto de Vista | junho 2021

E até à velhice eu serei o mesmo, e ainda até às cãs eu vos carregarei; eu vos fiz, e eu vos levarei, e eu vos trarei, e vos livrarei.  (Isaías 46:4)

O ser humano luta pela sobrevivência desde o primeiro momento de sua concepção, mas quando alguns, devido à sua robustez, ultrapassam a linha dos setenta anos, são tratados com desdém por seus filhos, netos, conhecidos e estranhos que enxergam a velhice como doença ao invés de bem-estar, pois só os fortes conseguem a longevidade. É muito normal perder a foça física e até mesmo mental depois de certa idade, mas nunca será normal, aos olhos do Criador, maltratar os idosos e tolher os seus direitos individuais como o de ir e vir, por exemplo. Os nossos pais jamais deveriam ser tratados como crianças. A vontade própria deles precisa ser respeitada até o último dia de suas vidas: “Diante das cãs te levantarás, e honrará a face do ancião, e temerás o teu Deus. Eu sou o Senhor” (Levítico 19:32).

A idade avançada é uma recompensa prometida para as crianças e os jovens que uma vez foram obedientes aos pais e souberam honrá-los. O primeiro mandamento com promessa garante vida longa para os filhos que se submeteram às duas maiores autoridades da vida: pai e mãe! Enquanto que, nos Estados Unidos e Europa, os seres humanos a partir dos 75 anos são vistos como dispensáveis e dispendiosos para a sociedade, Deus os considera especiais e dignos de todo respeito: “Coroa de honra são as cãs, quando elas estão no caminho da justiça” (Provérbios 16:31). Quem teria coragem de repreender um ancião como se ele fosse uma criança ou, pior ainda, um débil mental? No entanto, os mais velhos estão sendo maltratados dentro dos lares, dos hospitais e asilos como se fossem incapazes de viver. Até mesmo o portador de demências precisa ser ouvido e atendido dentro da racionabilidade, pois perder um pouco da memória não significa perder a dignidade pessoal.

Enquanto o mundo de hoje não honra e respeita os mais velhos, essas mesmas pessoas querem chegar à velhice também. Por isso pagam planos de saúde caríssimos e não saem das academias de ginástica. Nossa oração imprecatória é que aqueles que não honraram os mais velhos nunca cheguem à velhice e, se chegarem, que sejam maltratados como maltrataram. Mas como Deus não está a serviço do nosso juízo carnal, Ele prefere perdoar e restaurar um filho, um neto ou um cônjuge que não cuidou bem de seus velhos. O primeiro passo para esta restauração é investir tempo e finanças para o bem-estar dos idosos. Chegou a hora de levá-los aonde eles gostariam de ir e de conversar o assunto que eles gostariam de conversar. Deus tem um carinho especial pelos velhos e um zelo muito grande para com eles: “Não me rejeites no tempo da velhice; não me desampares, quando se for acabando a minha força” (Salmo 71:9).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *