Monólogo de Mefibosete – Reflexões!

Edgar Donato  »   agosto 2021

Sou um personagem da periferia, pouco conhecido, mais um caso da amostra da bondade de Deus para quem não merece. Ele nos tira da vida fútil, inútil, pequena, e nos dá o privilégio da intimidade, de desfrutar da sua generosidade, perdão, pertencimento, inclusão e aceitação.

Pense numa pessoa rejeitada, esquecida, rotulada, vítima de bullyng, amedrontada, traumatizada e sem perspectiva. Esse cara sou eu!

Nasci no palácio, meu avô foi o primeiro rei de Israel, Saul, e meu pai foi o grande guerreiro Jônatas. Quando a minha babá soube que meu pai e avô morreram na guerra contra os filisteus, ficou assustada e me carregou às pressas (era comum, o novo rei exterminar a descendência do monarca anterior).  Eu tinha cinco anos, caí e me machuquei todo. Fiquei aleijado, mais do que isso, traumatizado. Num só dia, perdi minha família, o conforto da minha posição e ainda por cima, deficiente e dependente dos outros…  Assim, coxo, fui morar numa cidade conhecida como Lo-Debar. O próprio nome significa sem pasto, sem vegetação, lugar árido, terra do esquecimento…

Pela misericórdia do Senhor, o rei Davi lembrou-se de uma Aliança que fizera com o meu pai, de poupar os descendentes de Saul, caso Davi ocupasse o trono de Israel. Davi perguntou se ainda havia alguém da nossa família. O servo Ziba falou de mim, o rei mandou me buscar. Fiquei com muito medo, afinal meu avô perseguiu Davi e tentou matá-lo várias vezes. Imaginei se seria meu fim…  No entanto, para a minha surpresa o rei Davi me recebeu como convidado de honra, disse para eu não ter medo. Ordenou a Ziba para me restituir as propriedades do meu avô e a administrar os meus bens. Ainda me assegurou que eu seria tratado como um filho, com liberdade para assentar-me à mesa real, pelo resto da minha vida.  Como sou grato a Deus pela amizade do meu pai com o rei Davi.


Essa pequena narrativa em 2 Samuel 9, é uma linda ilustração da Graça e misericórdia de Deus semelhante à nossa experiência. Assim como Mefibosete havia caído, nós também caímos em Adão e vivemos num mundo mal e perverso.  O homem sem Cristo também está coxo, não anda direito, tropeça e cai.  Alguém que não conseguia andar sozinho, dependia dos outros. A rejeição nos torna escravos da opinião dos outros. Para agradar alguém fazemos o que os outros fazem, compramos roupas, marcas…

O resgate de Mefibosete nos lembra de que foi Deus quem deu o primeiro passo em nos buscar, não foi iniciativa nossa. Estávamos separados de Deus e éramos seus inimigos; no entanto, ele nos amou e enviou seu Filho para morrer por nós. “Mas Deus prova seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” Rm 5:8.


Mefibosete estava com medo quando foi encontrado. Nós também, porém Jesus, o Rei da Glória, se manifestou cheio de graça e de verdade. Veio para colocar você de pé. Ele não esmaga a cana quebrada. A palavra que ele mais repetiu foi “Não temas”.

Assim como Mefibosete foi alvo do amor e da bondade de Davi por causa do amor a Jônatas, Deus também, da mesma maneira, nos aceita incondicionalmente, e nos salva por causa da obra de Cristo em nosso favor. Assim como Davi estendeu sua bondade a alguém sem méritos, Deus nos dá sua graça sem merecimentos.

Mefibosete reconhece que nada merece – “Sou como um cão morto”. Nós também éramos considerados como mortos, em nossos delitos e pecados, Jesus nos deu vida.  Temos uma posição mais elevada do que aquela que Davi deu a Mefibosete, pois nos assentamos, nas regiões celestiais, em Cristo e reinamos em vida com Ele.

Deus nos dá as riquezas de sua misericórdia e graça e também as “insondáveis riquezas” em Cristo. Deus supre todas as nossas necessidades, usando para isso não os tesouros de um rei aqui da terra, mas sim “sua riqueza em glória” Fp 4:19. Mefibosete passou o resto de seus dias na Jerusalém aqui da terra, mas os filhos de Deus, de hoje, já são cidadãos da Jerusalém celestial, onde habitarão para sempre com o Senhor.

Mefibosete nunca deixou a sua condição de deficiente. Ele nunca atingiu uma condição de poder deixar a mesa do rei e se virar sozinho. Nem nós. Oh! Maravilhosa Graça indescritível!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *