Mantendo o ânimo em meio ao desânimo

Genaina Reder  »  outubro 2020

Na nossa caminhada cristã muitas vezes nos pegamos desanimados, questionando como o salmista no Salmo 73 o quanto vale a pena ser honesto, ser fiel, ser correto. Mas, como o Profeta Jeremias 3.21-24 precisamos trazer à memória o que pode nos dar esperança e reconhecer como o salmista no Salmo 73:28 – Mas, para mim, bom é aproximar-me de Deus.

Não há outra forma de manter nossa fé. Precisamos manter nossos olhos e nossa esperança em Deus e o meio de nos conectarmos a Ele é por meio da leitura da Palavra e da oração. Nós sabemos disso, mas sabemos o quanto é difícil manter a constância.

O que mais me encanta na caminhada cristã é o cuidado de Deus conosco, independente do nosso estado de espírito, independentemente do nível da nossa fé, de santidade, de comunhão com Ele.

Quando Habacuque desanimado pelas lutas que ele vivia no seu tempo questiona: Até quando, Senhor? Habacuque não teve medo de expressar suas dúvidas e queixas a Deus e o Senhor pacientemente o responde. Quando Jó em meio ao seu sofrimento levou seus questionamentos diante de Deus, e olha que humanamente falando Jó tinha motivos para se lamentar e questionar a Deus, estava sofrendo injustamente, Deus vem ao encontro de Jó e o convida para um diálogo (Jó 38: 1-3) que coloca Jó no seu exato lugar, simples mortal diante de um Deus imensurável.

Quando Elias completamente desestruturado emocionalmente, desejando mais morrer que viver escondido em uma caverna desejando dormir e nunca mais acordar, Deus foi ao seu encontro e cuidou dele e o animou e o tirou da caverna para enfrentar a vida e Jezabel. A vida é assim, repleta de “Jezabeis” que nos ameaçam, nos amedrontam, nos encurralam em cavernas escuras, nos faz ter medo e nos esconder. Nessas horas pensamos, onde está Deus?

Nesses momentos precisamos trazer a memória a Palavra de Deus e suas promessas. Não te deixarei nem te desampararei. … 7 Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo (Josué).  “E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus). Deus não é homem para que minta, nem filho do homem para que se arrependa. Acaso promete e deixa de cumprir? (Números 23.19)

O céu e real. A vida eterna é real. Neste mundo teremos aflições. Tudo isto precisa estar claro diante de nós. Temos muitos sonhos e expectativas neste mundo. Queremos realizar muitas coisas, temos muitos planos e nada disso é errado, mas precisamos manter nossos olhos nas coisas do alto. A maior de todas as promessas Deus já cumpriu e diz respeito a salvação das nossas almas por meio do sacrifício de Cristo Jesus. A eternidade com Cristo já uma realidade para nós.

Sei que isto não diminui nossas dores e lutas, mas certamente nos ajudará a passar por elas coma perspectiva correta: “Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois aquele que prometeu é fiel”. (Hebreus 10.23)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *