Mães e pais – Sem noção ou conscientes?

Gilberto Celeti  »   agosto 2021

Vivemos numa época em que a falta de noção é uma realidade gritante em todas as esferas da sociedade, e em relação à família, muito mais. O que significa mesmo, hoje, ser PAI, ser MÃE?

Não pretendo me deter nas MÃES e PAIS SEM NOÇÃO, nem falar daqueles que nem sequer têm NOÇÃO do que significa, de fato, ser MÃE ou PAI. Gostaria de destacar que mães e pais sábios são aqueles que pensam e agem de maneira bem consciente, de acordo com a Palavra de Deus, em relação a alguns temas relacionados aos seus filhos. Sejamos MÃES e PAIS CONSCIENTES e que DEUS nos ajude a orientar as MÃES e PAIS SEM NOÇÃO!

Mães e pais conscientes sabem que ter filhos é bênção de Deus
Muitos justificam que não têm filhos pelo medo de não ter as condições adequadas para garantir o desenvolvimento sadio da prole em todas as áreas. Esta argumentação revela tão somente a ausência de total confiança no Senhor, e a altivez de achar que tudo quanto se consegue é fruto meramente do próprio esforço e empenho, do levantar-se cedo e do dormir tarde, do trabalho árduo e estafante a cada dia, que é o que se vê tanto no marido como na sua esposa, na grande maioria das famílias, hoje.

Na Palavra de Deus destaca-se o Salmo 127 mostrando claramente que a preocupação excessiva com a subsistência pessoal, da família e da casa é inútil e desnecessária. O Senhor garante tudo quanto é necessário para cada um dos Seus amados. Este salmo revela também que os “filhos são herança do Senhor, uma recompensa que ele dá” (verso 3 – NVI) e acrescenta: “como é feliz o homem que tem a sua aljava cheia deles” (verso 5).

Esta consciência de que os filhos são herança do Senhor, traz também a compreensão que os filhos não lhes pertencem, e que devem então criar os filhos para Deus, buscando a sabedoria de Deus e da Sua Palavra na tarefa de cuidar e instruir. Conscientes que os filhos são herança do Senhor encontram encorajamento precioso para desejarem ter filhos (no plural e não no singular).

Hoje o número de filhos de casais cristãos tem diminuído sensivelmente. O que está acontecendo? As mães e os pais não querem ser felizes? Não creem na veracidade da promessa do Salmo 127? A consciência clara que os filhos serão servos do Senhor, vai motivar e inclinar mães e pais a terem mais filhos, de fato a encher a aljava, como afirma a Palavra de Deus.

A grande pergunta quando nasce um bebê, deve ser esta: “O que virá a ser, pois, esta criança? ” Sem a preocupação quando à sua profissão ou atividade futura, o fato é que há apenas duas alternativas para esta pergunta: ou será uma pessoa “escrava do pecado”, ou será uma pessoa “serva do Deus Altíssimo”.

A convicção baseada no Salmo 127, conduz as mães e os pais excelentes e sábios a responder da mesma maneira que o sacerdote Zacarias afirmou em relação ao seu filhinho que acabara de nascer. Sim, tinha o seu bebê, João Batista, apenas oito dias quando uma solene pergunta foi feita: “O que virá a ser este menino” (Lc 1:66). O seu pai Zacarias, cheio do Espírito Santo, como que respondendo a esta pergunta, disse em sua oração, quem sabe até com o pequeno João Batista nos braços: “Você, menino, será chamado profeta do Altíssimo”! (Lc 1:76).

Esta convicção que os filhos serão” profetas do Altíssimo” deve estar na consciência dos cônjuges que amam ao Senhor e que buscam, assim, “encherem” as suas aljavas.

Mães e pais conscientes inculcam nos filhos a Palavra de Deus
Mães e pais sábios têm a alegria e a disposição para compartilhar sobre a fidelidade de Deus aos seus descendentes. “Os pais darão a conhecer aos filhos a tua fidelidade. ” (Is 38.19b).

Não existe maior privilégio para uma criança do que nascer num lar onde o pai exerce o seu papel de “sacerdote da família” e assume a responsabilidade de criar os seus filhos, de acordo com o mandamento da Palavra de Deus: “E vocês, pais, não provoquem os seus filhos à ira, mas tratem de criá-los na disciplina e na admoestação do Senhor. ” (Ef 6.4). Uma observação importante em relação a este versículo é que a palavra “pais”, na língua grega, neste versículo, aponta apenas para os pais, e não as mães. Obviamente papai e mamãe estão juntos nesta preciosa tarefa de inculcar a Palavra de Deus no coração de seus filhos, mas a ênfase sobre a responsabilidade paterna é muito significativa.

Mães e pais sábios são conscientes de que o melhor que podem fazer pelos seus filhos, em primeiro lugar e acima de tudo, é amar ao Senhor de todo o seu coração.

Depois, em segundo lugar, por amarem ao Senhor “de todo o seu coração, de toda a sua alma e com toda a sua força”, é que terão condições para guardarem a Palavra de Deus em seus corações.

Em terceiro lugar, “porque a boca fala do que está cheio o coração. (Lucas 6.45) dos seus lábios sairá o ensino precioso para os filhos, aproveitando cada momento do dia, exatamente como lemos em Deuteronômio 6.5-7: “Portanto, ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e com toda a sua força. Estas palavras que hoje lhe ordeno estarão no seu coração. Você as inculcará a seus filhos, e delas falará quando estiver sentado em sua casa, andando pelo caminho, ao deitar-se e ao levantar-se”.

Mães e pais conscientes disciplinam os filhos
Mães e pais sábios submetem-se à orientação da Palavra de Deus para instruir os seus filhos no caminho em que devem andar. Por estarem submissos à Palavra de Deus são conscientes que “a tolice está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a afastará dela. ” (Pv 22.15).

Sim, eles conhecem claramente o fato que “a vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma envergonha a sua mãe. ” (Pv 29.15). E movidos por amor ao Senhor, à Sua Palavra e ao próprio filho, irão orientá-lo e discipliná-lo, porque têm consciência clara que “o que retém a vara odeia o seu filho; quem o ama, este o disciplina desde cedo. ” (Pv 13.24).

De fato, mães e pais, sábios temem ao Senhor e à Sua Palavra e conscientes de sua responsabilidade levam à sério orientações tais como: “Não deixe a criança sem disciplina, porque, se você a castigar com a vara, ela não morrerá. Você a castigará com a vara e livrará a alma dela do inferno. ” (Pv 23.13,14). Por isso tratam de criar os seus filhos “na disciplina e na admoestação do Senhor. ” (Ef 6.4b).

Mães e pais conscientes têm seus corações voltados aos filhos
Quando o anjo Gabriel anunciou a Zacarias o nascimento de seu filho, que seria chamado de João, deu algumas instruções importantes sobre sua missão: que seria cheio do Espírito Santo desde o ventre materno, que converteria muitos dos filhos de Israel ao Senhor, que converteria o coração dos pais aos filhos, que converteria os desobedientes à prudência dos justos e que habilitaria para o Senhor um povo preparado. (Leia Lucas 1.16,17).

Gostaria de destacar esta ação extraordinária: “fazer voltar o coração dos pais a seus filhos” (Lc 1.17-NVI).

É muito interessante notar que é exatamente esta mensagem que encerra o Antigo Testamento: “Eis que eu lhes enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor. Ele converterá o coração dos pais aos seus filhos e o coração dos filhos aos seus pais, para que eu não venha e castigue a terra com maldição. ” (Ml 4:5,6).

Vivemos tempos terríveis e a impiedade cresce assustadoramente. A palavra “maldição” que encerra o Antigo Testamento é muito forte. E o mundo atual está cada vez mais corrompido, afastado do Eterno Deus Criador. Quanto tempo nos resta ainda? Até quando desfrutaremos da maravilhosa longanimidade do Senhor que estica o “Tempo da Graça”, “não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento”? (2 Pe 3.8).

Ter o coração voltado para o filho, para que o SENHOR não venha e fira a terra com maldição, é como termina o Antigo Testamento. E o Novo Testamento começa, mais ou menos 430 anos depois de Malaquias, com o anúncio do nascimento de João Batista, que teria como um de seus ministérios, converter o coração dos pais aos filhos.

Mães e pais sábios, conscientes de terem seus corações voltados para seus filhos os acompanharão em todo seu desenvolvimento, dando a devida atenção, não terceirizando a sua educação, não deixando-os entregues ao ensino humanista, à tecnologia das mídias sociais, não provocando seus filhos à ira.

São mães e pais que dão o brinquedo, mas também brincam com seus filhos e filhas. São mães e pais que conversam, abraçam, orientam, viajam, riem, choram, disciplinam, motivam, convivem de maneira honrosa e harmoniosa. Quem tem o coração voltado para o filho jamais terceirizará a sua educação. São mães e pais que leem a Palavra de Deus, que louvam, que oram, que adoram, que servem ao Senhor junto com seus filhos e filhas.

Conclusão
Mães, Avós… Pais, Avôs… Pastores, professores, educadores…. Mudemos nossa maneira de olhar para os filhos e filhas, para os netos e netas, e para o futuro. Ao ensinar a Bíblia às crianças, ganhando-as para Cristo, estamos cumprindo um estratégico e maravilhoso serviço para o Senhor. Lembrem das palavras de Josué: “Escolham hoje a quem vão servir. ” E que a sua resposta, bem consciente, seja: “Eu e a minha casa serviremos o Senhor. ” (Js 24.15)

SENHOR oriente as MÃES e os PAIS, pela Sua Palavra, como só o Senhor sabe e pode fazer, para que, com sabedoria, sejam conscientes que devem:
(1) ter filhos, pois é bênção de Deus.
(2) inculcar nos filhos a palavra de Deus.
(3) disciplinar os filhos.
(4) ter o coração voltado aos filhos.

Desta maneira veremos surgir UMA GERAÇÃO que colocará sua confiança no senhor e que irá completar a Grande Comissão ordenada por JESUS CRISTO – fazer discípulos de todas as nações! (Mt 28.18-20).

Gilberto Celeti
Superintendente Nacional da APEC – Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *