Jesus Cristo: A Única Porta Para a Vida Eterna

Alessandro Monteiro  »   abril 2022

Imagine o seguinte problema de Matemática: Na TV o apresentador te dá a opção de escolher uma entre três portas. Atrás de uma delas tem algo muito bom (por exemplo: uma Ferrari) e nas outras duas existe um bode em cada uma delas. Você então escolhe uma porta e, em seguida, o apresentador abre e elimina uma porta onde tem um bode. Agora diante de apenas duas portas, o apresentador pergunta: Você quer trocar de porta?

Entre apenas as duas possibilidades que sobraram intuitivamente há de se pensar que a chance de ganhar é de 50% independente de trocar ou não de porta. No entanto, esta resposta está incorreta, pois a chance de ganhar se trocar é de aproximadamente 2/3 = 66,66%. É confuso e este problema conhecido como o problema de Monty Hall já confundiu a mente de muitas pessoas. Ele surgiu a partir de um concurso televisivo dos Estados Unidos chamado Let’s Make a Deal, exibido na década de 1970. Parece até um paradoxo, mas já foi provado que devemos trocar de porta.

De uma maneira informal, a chance de errar de primeira é de 2/3, uma vez que em duas das três portas existem bodes. Isto é, a chance de escolher a porta errada de primeira é maior. Logo, quando trocamos a chance de acertar aumenta.

Isso pode ser analisado com mais calma. Existem três possibilidades: Escolher de primeira a porta da Ferrari, escolher de primeira uma das portas do bode ou escolher de primeira a outra porta que contém o outro bode. No primeiro caso, o apresentador revela um dos bodes, e se trocarmos de porta então perdemos o prêmio (a Ferrari). No segundo caso, escolhemos uma porta que contém bode, e se trocarmos então ganhamos o prêmio. Por último, no terceiro caso, onde também escolhemos uma porta que contém bode, se trocarmos também ganhamos o prêmio. Como primeiramente tínhamos chances iguais de escolher qualquer uma das três portas então a troca resultará na vitória em 2/3 das vezes. Além dessas duas soluções, podemos ainda, através do Teorema de Bayes, encontrar uma terceira solução.

Só existem duas possibilidades: ganhar um bode ou ganhar uma Ferrari. Quão bom seria fazer a escolha certa e ganhar uma Ferrari não é mesmo? Mas, é isso que você mais gostaria de ganhar na vida? Com Ferrari ou sem Ferrari um dia faremos nossa última corrida. A Ferrari continuará por aqui até se acabar. E nós, partiremos eternamente para algum lugar.

Na vida existem somente duas portas e independente da escolha que fazemos temos 100% de chance de eternidade. Em uma delas temos a morte eterna e na outra a vida eterna. Portanto, a chance de eternidade é a mesma, mas com consequências e para lugares bem diferentes. Na verdade, desde o nosso nascimento, naturalmente, por conta do pecado, uma escolha já é feita:

“Os ímpios são alienados desde o ventre; desde o nascimento se extraviam, falando mentiras” (Salmos 58.3).

Quando você era criança nunca mentiu? Se a resposta é sim, então já sabemos que você ainda permanece na mesma porta que escolheu há alguns anos. Quem pode dizer: Purifiquei o meu coração, estou limpo do meu pecado (Provérbios 20.9)? Ninguém, pois não há homem justo sobre a terra que faça somente o bem e não peque (Eclesiastes 7.20).

Todos pecaram e carecem da glória de Deus. Nesta porta “o prêmio” é a morte eterna, e na outra, de forma gratuita, é a vida eterna em Cristo Jesus (Romanos 3.23 e Romanos 6.23).

Em uma delas você já está, mas a outra se abrirá finitas vezes para você. Hoje pode ser a última. Deus provou o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores (Romanos 5.8). Ele amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3.16). Ele disse:

Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem (João 10.9).

Querer resolver o problema da Salvação por conta própria é fechar cada porta que Deus abre através de Jesus especialmente para você. Porque pela graça sois salvos, mediante a Fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie (Efésios 2. 8-9).

Temos um grande problema e ao mesmo tempo uma única e perfeita solução: Pela desobediência de um só homem (Adão) muitos se tornaram pecadores, assim também pela obediência de um (Jesus) muitos se tornarão justos (Romanos 5.19). Ninguém chegará a Deus se não for por meio de Jesus Cristo, pois ele é a única porta, e a verdade, e a vida (João 14.6).

Talvez você já creia que a outra porta existe, e que ela é boa.  Mas, crer é uma das coisas que todos que sofrerão eternamente a morte eterna também conseguem fazer. Até os demônios creem e tremem (Tiago 2.19).

É com mais de um passo que você chegará na outra porta, e hoje, já crendo com o coração que Jesus morreu na cruz por você, confesse Jesus Cristo como seu único e suficiente Senhor e Salvador. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação (Romanos 10.9-10).

Entre pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela. Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a encontram (Mateus 7.13-14).

Escutem! Eu estou a porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo (Apocalipse 3.20).

O Apresentador pergunta: Você quer trocar de porta?

Que Deus te abençoe.

______________________________________

Alessandro Monteiro é Mestre em Matemática

Uma resposta para “Jesus Cristo: A Única Porta Para a Vida Eterna”

  1. Charles Smith disse:

    Ótimo exemplo. Deus seja louvado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.