(I)números Amigos

Alessandro Monteiro  »  abril 2021

Dois números são amigos ou amigáveis se cada um deles é igual a soma dos divisores próprios do outro. O menor e primeiro par de números amigos é formado pelos números 220 e 284 que foram encontrados pelos matemáticos da antiguidade. Há quem mencione esse par de números em Gênesis 32.14-16, quando Jacó fala em 220 animais como parte de um presente que mandaria a seu irmão Esaú antes de si mesmo e que em hebraico “si mesmo” possui um significado numérico equivalente a 284, o que poderia representar uma forma de reaver a amizade com seu irmão.

Mas, aqui queremos pensar no somatório dos divisores como uma soma de necessidades em momentos marcantes da vida, sejam eles bons ou “ruins”. Dentre muitas, as pessoas que são capazes de nos ajudar a preencher esses momentos são os nossos amigos de verdade. São as pessoas próximas a nós que nos amam em todo o tempo e na hora da angústia são nossos irmãos (Pv 17.17). Aqueles que não desaparecem quando mais precisamos deles.

Amigos de verdade se contam nos dedos. Um psicólogo da Universidade de Oxford, Dr. Robin Dunbar, mostrou em uma de suas pesquisas que conseguimos manter uma conexão próxima com uma média de 150 pessoas e que a quantidade de amigos mais próximos gira em torno de 4,1 o que pode ser arredondado com segurança para 5 amigos realmente mais próximos.  

Existem pesquisas mostrando que a quantidade de pessoas que dizem não ter amigos de verdade vem quase triplicando nos últimos anos. Isso acaba se encaixando também na fragmentação em que muitos acreditam: uma grande porcentagem não se importa com os teus problemas e o restante estão felizes por você ter eles. É quase isso, mas não é de total verdade. Por mais amigo que o homem seja do que pertence ao inimigo de Deus existe uma mínima porcentagem que se deixa levar pela Bondade e Misericórdia do Alto (Salmos 23.6) sem pedir nada em troca.

Entre tantos amigos, os verdadeiros são aqueles que sempre nos ajudarão com o melhor que podem e de todo o coração como se fosse para Deus (Cl 3.23). São aqueles que na hora da angústia se tornam irmãos (Pv. 17.17) ou ainda mais que isso (Pv. 18.24). São os leais que ferem por amor (Pv. 27.6). Aqueles que nos ajudam a levantar quando caímos (Ec. 4.10). São aqueles que de alguma forma estão presentes nos momentos mais marcantes de nossas vidas. São aqueles que precisarão mostrar Temor e Obediência para nos orientar em grandes decisões da vida. Que realmente ficam felizes com nossas conquistas e que precisarão expressar Fé em meio aos nossas aflições e perdas.

Inúmeros amigos nos aparecerão nos momentos bons. E nos ruins quase não os veremos. A verdade é que junto com Jesus essa quantidade é completa e eles farão investimentos eternos em nossas vidas. Pelos verdadeiros, pelos que desaparecem e pelos multiplicadores de “beijos” que a nossa vida seja usada por Deus para amá-los, orar por eles e sermos para cada um tudo que Jesus Cristo pode operar em nós.

A todos os meus amigos e em especial ao meu grande e verdadeiro amigo Nilomar Oliveira (in memoriam).

__________________________________________________________________

Alessandro Monteiro de Menezes é cristão, casado com uma linda Administradora e Matemática, Ivete Arruda Monteiro, filha legítima de Deus. Juntos têm uma filha linda que é um grande presente do Senhor. É graduado em Licenciatura Plena em Matemática e Mestre em Matemática Aplicada pela Universidade Federal do Amazonas. É membro da Igreja Batista em Dom Pedro, Manaus AM.

2 respostas para “(I)números Amigos”

  1. Chase, Carlos Silva Neto disse:

    Fantástico, que Deus continue te abençoando a te é a tua família.

  2. Paulo R. de Arruda disse:

    Sempre de um nível excelente as suas matérias que trazem a maemática para mostrar valores da vida cristã. Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *