Igreja Online?

Alexandre Aquino  »   abril 2021

Para a maioria das pessoas a vida se digitalizou. Encontros, bate-papos, compras, consultas médicas e pesquisas passaram a ser online. Presença online deixou de ser luxo para ser uma necessidade, uma questão de sobrevivência.
O ambiente digital tem linguagens e dinâmicas próprias que, se bem formuladas e exploradas, podem torná-lo muito acolhedor e participativo.
No contexto das igrejas, o ambiente digital pode ajudar muito na conexão com seus membros e visitantes por meio de mensagens instantâneas, ampliação de sua audiência na transmissão de cultos, discipulado, evangelismo, ensino à distância, geração e segmentação de grupos, gestão financeira, gestão de eventos e muito mais.
É preciso entender que os universos online e offline não são inimigos.
A tecnologia aproxima as pessoas. E a expansão da área de atuação da igreja no ambiente online amplia as possibilidades de alcançar pessoas; além de realizar a manutenção da saúde emocional e mental dos membros a igreja digital pode evangelizar e atrair pessoas que talvez nunca passariam pelas portas de uma igreja física. A tecnologia possibilita o aumento da interatividade, proporciona eficiência em gestão e favorece o crescimento.
Ferramentas como site e aplicativo permitem que a igreja não apenas se mantenha próxima à sua comunidade local, como também alcance pessoas que precisam ouvir sobre o evangelho.
Contudo, tudo isso gera uma série de dúvidas e acertos de como se inserir eficientemente nesse mundo digital de relacionamentos virtuais.
Assim como iniciamos esse artigo com uma pergunta no título iremos discorrer com perguntas e respostas para melhor compreensão do assunto.

• O virtual pode prejudicar a comunicação física com as pessoas?

Sabe por que a tecnologia aproxima as pessoas? Porque a internet deu chance de voz àqueles que não tinham oportunidade de se expressar ou são tímidos presencialmente. Se pensarmos bem, hoje falamos mais virtualmente com quem convivemos do que presencialmente, inclusive há pessoas que só falamos e conhemos virtualmente. O virtual não tem limite geográfico nem restrição de tempo.

• Porque deve-se inserir tecnologia na igreja?

Porque igreja é feita e foi criada para pessoas. O comportamento mudou, as pessoas estão sempre olhando para a tela e se queremos alcançar as pessoas tanto para edificá-las como para evangelizá-las temos que ir onde elas estão. Afinal, a fé vem pelo ouvir [presencial ou virtualmente] e o ouvir da palavra de Deus.
Imagine o seguinte: O tempo médio de um membro fiel em contato com sua comunidade, no espaço físico, está entre 3 e 6 horas por semana; e as outras 162 horas do restante da semana? A tecnologia permite preencher esse espaço de tempo de contato com sua audiência na outra parte esmagadora do tempo.

Site, a igreja precisa ter um?

Hoje ninguém visita um lugar ainda desconhecido sem pesquisar na internet. Onde está sua igreja na internet? Qual é a sua presença digital? Encontramos vocês nas buscas do Google?
Sem um site, sua igreja perde a oportunidade de se posicionar nos mecanismos de busca e oferecer respostas àqueles que procuram por Jesus; perguntas como: “O que é se converter a Cristo?”, “Por que Jesus foi crucificado?” e “Jesus ainda cura hoje?” – são muito comuns no Google. No site a igreja tem controle sobre a distribuição e organização de seu conteúdo e permite que as pessoas conheçam melhor sobre suas programações, atividades, organização, fé e valores da igreja.

• E as redes sociais não seriam suficientes?

Elas são oportunas ao evangelismo e para atrair para o seu ambiente de controle e distribuição de conteúdo: site e aplicativo. É importante estar nas redes sociais para um alcance geral, mas um canal proprietário evita distrações e obtém um melhor engajamento das pessoas que o utilizam.

Aplicativo para igreja, quais razões para ter um?

O smartphone é hoje quase parte do nosso corpo e indissociável da nossa vida pessoal, profissional e espiritual, o seu uso aliado a internet é um caminho sem volta. Porém, obter atenção e controle de entrega de conteúdo, são estas as duas grandes razões para ter uma aplicação nele. Num App as chances de distração minimizam, pois o espaço não é compartilhado com outros criadores de conteúdo e concentra seu usuário na mensagem veiculada pela igreja.
No Brasil há 230 milhões de celulares e o brasileiro está aderindo aos aplicativos de forma acelerada, motivados pelo uso de aplicativos que entregam valor e interatividade. O App para a igreja é uma ferramente de missão, de expansão de sua área de atuação aos membros e ampliação das possibilidades de alcance em evangelizar pessoas.

• Como aumentar a interatividade na igreja online?

Como já dissemos, o ambiente digital tem linguagens e dinâmicas próprias que se bem exploradas podem torná-lo muito acolhedor e participativo, isto proporciona uma experiência agradável e traz os membros e visitantes para mais perto da comunidade. Portanto, é necessário produzir conteúdos interativos como quizzes, enquetes e games; espaços intuitivos para pedidos de oração, oferecer possibilidade de doação, segmentar a comunicação, promover debates e rodas de conversa, etc. A tecnologia abre uma série de portas para o aumento da interatividade na igreja.

• Gestão de conteúdo e manutenção das plataformas digitais, como fazer?

Produzir conteúdo para a igreja é uma forma de evangelizar online e educar a membresia a partir do compartilhamento de materiais de valor. Porém, muitos pastores, líderes e voluntários da equipe de mídia já perceberam a importância dessa atividade, mas não sabem por onde começar.
Não basta fazer um site ou app qualquer, o primeiro importante passo é ter aplicações feitas por desenvolvedores profissionais que são capazes de compreender e lidar com as demandas específicas da sua igreja. Ter o suporte contínuo desses profissionais com sua equipe de mídia é o segundo passo para uma experiência eficiente que traga resultados.
Quanto a produção de conteúdo, não se desespere, não será mais difícil do que as instruções dadas pelo Senhor aos Seus profetas, como a Ezequiel (caps. 4 e 5); portanto, será necessário organização, produção de conteúdo, frequência, calendário editorial e publicação.
Também nisto estamos aqui para lhe dar o suporte e treinamento contínuo necessário.

A igreja online faz parte do futuro presente, é possível estar distante e, ainda assim, conectado; a igreja deve ampliar sua visão, é preciso adotar uma cultura digital e ela não pode ser simplesmente uma réplica do ministério offline, mas deve ser um organismo autônomo em harmonia com a igreja de quatro paredes. Assim a grande comissão do “ide” é cumprida com excelência, eficácia e inteligência. É urgente que a igreja assuma cada vez mais sua missão no terreno digital.
Jesus, nosso Senhor, foi o maior comunicador que já existiu. Para Ele era importante estar próximo da vida das pessoas, Ele se revestia à semelhança daqueles que iriam ouvir Sua mensagem. Jesus não só os conhecia de perto, mas vivia como alguém do povo. Nas sinagogas ou nos montes Ele levava Sua mensagem conforme o perfil de cada um. Se na época do ministério público de Jesus houvesse esse canal digital de comunicação certamente Ele teria aproveitado da melhor maneira possível.
Aliás, a Bíblia, já profetizara sobre esse tempo de satélites e internet, pois como seria possível entender o que acontecerá em Apocalipse 11:9 e 10. Quem lê, entenda.

Alexandre Aquino
Especialista em Informática, desenvolvedor web, ux designer e teólogo.
+55 85 99713-2518 | +353 83 355-8322 (whatsapp)
contact@alexandreaquino.com

Fontes: Blog da inChurch

P.S.: Jornal de Apoio – Do limitado para o ilimitado

Depois de 36 anos veiculando as boas notícias das nossas igrejas e missões apenas para alguns poucos membros do nosso movimento, entramos em uma nova etapa do Jornal de Apoio. No início de 2020, impulsionados pelas restrições da pandemia, decidimos pela mudança para o mundo virtual. A transição foi rápida, com apoio de profissionais habilitados e substituímos a gráfica e os correios pelo leve toque de envio pelo WhatsApp.
Claro que por trás dessa facilidade do leve toque há toda uma estrutura técnica que dá o suporte, substituindo a gráfica e os correios. A diferença é que saímos de um público limitado para o ilimitado e com possibilidades de crescimento exponencial.
Ainda estamos aprendendo a utilizar as ferramentas e trabalhando na busca de alternativas tecnológicas e ferramentas facilitadoras, para maior interatividade com os leitores. A cada edição vamos nos adaptando e experimentando o novo.

─ Pr. Carlos Moraes (Editor do JA)

Uma resposta para “Igreja Online?”

  1. Pr. Alexandre Dutra disse:

    Excelente artigo! Claro, objetivo e desafiador para todos aqueles que desejam compartilhar o evangelho com os não salvos e edificar a Igreja de Deus. Além de disponibilizar uma visão batista fundamentalista nas redes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *