Família em extinção! E agora?

Sulamita Silva  »   dezembro 2021

Não é novidade nem surpresa para ninguém que a família tem sido o alvo principal de Satanás. Seus ataques frontais a tudo o que diz respeito à moral, ao respeito e ao amor na família demonstram sua determinação em destruí-la. Assim como alguns animais, pássaros e outras espécies, a família está em extinção.

Ao buscarmos dados em jornais, documentários ou outras publicações sobre a família, encontramos dados alarmantes, tais como:

– Mais da metade dos casamentos acabam em divórcio.

– A maioria das pessoas divorciadas casam-se novamente e mais da metade dos segundos casamentos também acabam em divórcio.

– Cerca de 17 Milhões de mulheres sofreram violência física, psicológica ou sexual no Brasil em 2020, conforme o Instituto Brasileiro de Direito de Família.

– Nos últimos 5 anos, 35 mil crianças e adolescentes foram mortos de forma violenta no Brasil. “Crianças morrem, com frequência, em decorrência da violência doméstica, perpetrada por um agressor conhecido. Isso vale para a violência sexual contra elas, cometida dentro de casa, por pessoas próximas. ” Afirmam a UNICEF e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

– Grande parte das crianças que vivem com os pais, ao voltar da escola ficam sozinhas em casa, pois ambos os pais trabalham fora.

– A cada mil adolescentes brasileiras entre 15 e 19 anos, 68,4 ficaram grávidas e tiveram seus bebês, diz relatório da Organização Mundial da Saúde.

O quadro é desesperador! Estudos recentes mostram que o lar tem se tornado um dos lugares mais perigosos para a segurança do ser humano.

Tenho ouvido comentários do tipo: “Não se deve ter filhos numa época tão negra e sombria como a que vivemos hoje! ”, “não se deve colocar filhos no mundo para sofrer numa sociedade sem Deus como a nossa! ”

Porém, a Palavra de Deus sempre nos traz uma palavra prática, realista e promissora. Temos visto ao longo da história bíblica que, nos tempos mais tenebrosos Deus abençoava casais com filhos que se tornaram bênçãos para a sociedade daquela época. Por exemplo:

Moisés nasceu numa época em que a maldade era tão grande que as crianças eram arrancadas de suas mães e lançadas no Nilo para morrerem; uma época em que Israel gemia sob a escravidão egípcia a ponto de muitos deles nem se lembrarem mais de Deus e servirem aos deuses egípcios, numa idolatria abominável. Mas Deus preserva milagrosamente a Moises e o torna o líder que libertou e conduziu o seu povo para longe do cativeiro e através dele Deus dá a Sua lei ao seu povo, vindo habitar com eles na figura do tabernáculo.

Quando Samuel nasceu, Israel vivia uma apostasia sem precedentes. Os próprios filhos do Sacerdote Eli eram homens delinquentes e não respeitavam às leis de Deus. No entanto Deus levanta Samuel e o torna o maior profeta, maior juiz e maior sacerdote que a nação já teve.

De que maneira podemos contribuir para que a nossa família seja diferente? Que impacto uma família cristã terá sobre uma sociedade em estado de putrefação como a nossa? Precisamos ver a família pela perspectiva divina.

O Salmo 127:1,2 afirma “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente granjeastes; aos seus amados Ele o dá enquanto dormem. ” Se Deus não estiver no centro, se Ele não ocupar o centro e o coração da família a experiência familiar será um fracasso, um esforço inútil, vazio e sem frutos.

Cada filho é visto por Deus como uma doação de amor dele para o casal que o recebe. Por isso devemos atribuir às crianças o mesmo valor que o Senhor lhes atribui. Temos em nossas mãos um ser totalmente moldável, é nossa responsabilidade desenvolver o seu caráter e proporcionar oportunidades de conhecerem a Cristo como Salvador pessoal.

À medida que os filhos crescem e se tornam adolescentes precisamos, como pais, ser modelos de autenticidade. Os adolescentes não suportam hipocrisia. Os grandes problemas nas famílias com adolescentes rebeldes ocorrem quando os pais são excessivamente liberais e permissivos ou rígidos, inflexíveis e distantes. É nesse período que precisamos ser pessoas genuínas, de carne e osso, sempre acessíveis aos nossos filhos, pois isso se constituirá um abrigo e proteção nos momentos de crises, dificuldades financeiras, novos amigos, novas ideias que surgem nessa época da vida.

O Salmo 128:4-6 nos mostra o resultado de tudo isso: “Eis como será abençoado o homem que teme ao Senhor! O Senhor te abençoe desde Sião, para que vejas a prosperidade de Jerusalém durante os dias de tua vida, vejas os filhos de teus filhos. Paz sobre Israel. ” A Palavra de Deus nos promete bênçãos! Seremos pessoalmente felizes! Teremos um bom relacionamento com nossos filhos adultos! Teremos doces recordações!

Há um caminho mais excelente! Há um modo de vida melhor! A vida em família conforme a perspectiva de Deus.

Oremos por nossas famílias! Cuidemos de cada detalhe do bem-estar espiritual, emocional e físico de cada um de seus membros, pois, conforme afirma Charles Swindoll, “a pulsação de toda a civilização é determinada pelo coração dos lares que a constituem. Como estiver a família, assim estará a sociedade. ”

2 respostas para “Família em extinção! E agora?”

  1. Cosmo Silva disse:

    Excelente matéria irmã e esposa Sulamita. Sou testemunha ocular da importância que você dá a sua família. Parabéns amada.

  2. Pr. Joel Azer. disse:

    Só a misericórdia de Deus. A familia está sendo destruida pelo povo incredulo dos nossos dias. 0 q a Biblia ensina sobre a familia a sociedade dos dias de hoje vai bem contra. Hoje e vc sabe duas pessoas do mesmo sexo adotam uma criança e passam a cuidar dela como filho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *