Dez dicas para controlar a língua

Radar Geral  »  março 2021

 “Se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum! ” (Tiago 1.26)

Como cristãos, o que devemos fazer quando ouvimos boatos e calúnias sobre outras pessoas? Segue uma lista de dicas úteis que aprendi ao longo da vida.

1. Simplesmente não confio neles, e verifico se de fato há algo relacionado.

2. Antes de mais nada, não retransmito algo não confirmado.

3. O quanto for possível, falo com todos os envolvidos, principalmente com a pessoa caluniada. É necessário ouvir as duas partes e, sob hipótese alguma, fazer comentários escondidos sobre os envolvidos, pois então eu me torno culpado diante de Deus.

4. Não posso acreditar em nada que não tenha firme comprovação. Quando se trata de fofoca, eu interrompo a conversa e não participo do caso. Quem ouve fofoca e não se opõe, torna-se culpado também.

5. Não havendo provas claras, mas apenas afirmações contraditórias, então devo ficar calado sobre o caso.

6. Mesmo se houver conhecimento de pecado cometido por outra pessoa, preciso me questionar, caso eu o leve adiante, se haverá ajuda espiritual para mim ou para outras pessoas.

7. Primeiramente eu observo os meus próprios erros e pecados, e os levo diante de Deus. Acontece que, por meio dos pecados de outros, o Diabo pretende me desviar dos meus próprios pecados e de meu retorno para junto de Deus. Preciso estar muito atento a isso. Eu preciso reconhecer meus próprios pecados e não os do meu vizinho.

8. Eu oro pelas pessoas envolvidas, pela que foi caluniada e pela caluniadora. Eu peço a Deus que, na vida deles e na minha, Deus conceda perdão, graça e misericórdia que nos permitam alcançar a vitória.

Preciso reconhecer meus próprios pecados e não os do meu vizinho.

9. Eu permito que Jesus Cristo purifique meu coração e pensamentos e que domine a minha língua. Antes que eu compartilhe alguma coisa, eu a submeto a três “filtros”: 1) isso é verdade? 2) isso é bom? 3) isso é necessário?

10. Em tudo eu observo as palavras das Escrituras Sagradas: “Não darás falso testemunho contra o teu próximo” (Êxodo 20.16). “Portanto, livrem-se de toda maldade e de todo engano, hipocrisia, inveja e toda espécie de maledicência” (1Pe 2.1). Leia também: Sl 15.1-3; Pv 11.9; 25.23; Mt 18.15-17; Tg 3, entre outros.

Deus conhece a verdade e ele julgará no dia do Juízo Final. Não podemos nem devemos nos constituir como juízes para as outras pessoas (exceto por atos ilícitos de fato cometidos sujeitos à jurisprudência dos homens). Caso contrário, nos tornamos culpados, principalmente quando não cumprimos todos os passos necessários.

Obviamente é algo diferente quando examinamos (falsas) doutrinas, conforme são publicadas (livros, palestras, filmes, posts etc.). Nesse caso, podemos e devemos nos posicionar, pois as Escrituras Sagradas exortam os cristãos: “Amados, não creiam em qualquer espírito, mas examinem os espíritos para ver se eles procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo” (1Jo 4.1). Aquele que fala em “amor” e “tolerância” com referência a falsas doutrinas – também no ambiente cristão – deve ler Apocalipse 18.4!

Oremos: “Senhor, por favor, ajuda-me a falar somente o que tu queres e a calar quando tu o queres. Amém”.

Lothar Gassmann

Publicado originalmente em: https://chamada.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *