Conhecendo a geração dos millennials

Radar Geral  »   dezembro 2021

Pesquisa recente revela o comportamento da geração que mais influencia o mundo na atualidade, por ser formada por nativos digitais. A pesquisa foi nos EUA e mostra o posicionamento da geração millennials naquele país em sua relação com o cristianismo, mas pode nos dar uma perspectiva também para o Brasil. Precisamos alcança-los para Cristo.

Millennials é o termo usado para designar a geração posterior à X. As pessoas que nasceram entre 1981 a 1995 são consideradas Millennials. Em questões de gramática, as pessoas que se enquadram como Millennials, também podem ser conhecidas como “Geração Y” e “Nativos Digitais”, sendo que o último leva o nome pela condição de que, as pessoas de 1981 a 1999, nasceram e cresceram no famoso “Boom da Internet”, cujo marco são os primeiros smartphones. Portanto, Millennials, Geração Y e Nativos Digitais, designam o mesmo grupo de pessoas. Uma classificação mais abrangente coloca esse grupo entre os nascidos de 1984 a 2002.

O Instituto de Pesquisa Barna, liderado por George Barna produziu o relatório para a Arizona Christian University, sob o título “Novos insights sobre a geração de influência crescente: millennials na América”. O relatório explica os desafios enfrentados pela geração de 78 milhões (EUA), definidos neste relatório como os nascidos de 1984 a 2002. O estudo procura olhar para suas perspectivas espirituais.

George Barna mostra que “milhões de millennials rejeitam a religião organizada, ou têm hesitações sobre líderes religiosos, e especialmente sobre pessoas religiosas que podem se mostrar hipócritas. Suas experiências, observações e suposições sobre religião, crenças espirituais e práticas religiosas produziram uma experiência espiritual turbulenta”.

Na pesquisa, 59% dos millennials veem Jesus “um pouco positivo”, 39% veem Ele como “muito positivo”. Outros 51% veem a Bíblia ao longo deste espectro com 29% tendo uma impressão “muito positiva”. Com relação ao cristianismo em geral, apenas metade dos millennials o veem como pelo menos “um pouco positivo”. Uma maioria da geração também rejeita o ateísmo, com apenas 25% vendo como algo “um pouco positivo” e 8% vendo como algo “muito positivo”. Enquanto a maioria dos millennials veem Jesus e a Bíblia positivamente e 65% ainda se identificam como cristãos, muitos não aceitam a visão bíblica sobre sexualidade, e enxergam a santidade por perspectivas que fogem aos padrões estabelecidos.

Barna sugere que a solução para os desafios enfrentados pelos millennials, incluindo sua falta de propósito na vida, pode ser tratada com a mudança da visão de mundo. “Sua visão de mundo é a base de sua tomada de decisão. Cada escolha que você faz emerge da sua visão de mundo, que serve como o filtro através do qual você experimenta, observa, imagina, interpreta e responde à realidade. Cada escolha que você faz todos os dias tem consequências”.

De acordo com George Barna, isso significa que a visão de mundo está no centro de tudo o que estamos considerando em relação ao bem-estar e desenvolvimento da geração jovem adulta. Pense nas consequências generalizadas para os millennials de rejeitar a visão de mundo bíblica em favor de outras alternativas mais populares.

______________________________________________________

Com informações de The Christian Post, PontoTel e Gospel Prime)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *